Mariana Serrano nos conta das dificuldades para o acesso à Justiça por pessoas que não correspondem ao padrão do sujeito para quem a lei foi pensada

A Justiça costuma ser representada como uma mulher vendada, segurando uma balança em equilíbrio. Mas será que a Justiça realmente trata a todos sem fazer distinção, como se não enxergasse? E será que não deveria levar em consideração as diferenças entre as pessoas? Afinal, a lei foi criada pensando em quem, e a quem é endereçada? Nesse talk, Mariana Serrano nos fala sobre nosso sistema jurídico e nos conta histórias, tanto pessoais quanto de pessoas às quais atendeu, de como o acesso à Justiça pode ser muito mais difícil em alguns casos ou para alguns grupos, e o que podemos fazer para lidar com isso.

About the speaker

Mariana Serrano é advogada, graduada e mestre em Direito do Trabalho pela PUC/SP. Especialista em Direito Sindical e Direitos das Mulheres e da População LGBTI+. Cofundadora da deFEMde - Rede Feminista de Juristas. Coordenadora do Núcleo de Diversidade e Inclusão de Trabalhadores da Comissão de Diversidade Sexual da OAB/SP. Membro da Comissão de Direito Sindical da OAB/SP. Membro da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia. Sócia-fundadora em Claro & Serrano Advocacia.

Favorite quotes from this talk

No quotes yet. Sign in to tag a quote!

*Crickets* Sign in to add a comment.